Importância da Proteína, durante a quimioterapia e a radioterapia

Sabe porque é importante o consumo da Proteína? Ela é uma aliada no sucesso do tratamento com quimioterapia e com ou radioterapia. E a nossa entrevistada é a Nutricionista Thereza Cristina de Oliveira. Pós-graduada em Nutrição Oncológica e Coordenadora do Serviço de Nutrição e Dietética do H. Antoninho da Rocha Marmo. 

1. Porque é importante ingerirmos alimentos ricos em proteína após a quimioterapia e inicio da radioterapia?

 TC: A quimioterapia e a radioterapia apresentam efeitos adversos que podem comprometer o estado físico, imunológico e nutricional, sendo que o acompanhamento nutricional  (quando bem aplicado), auxilia no controle dos sintomas, evitando a “temida” sarcopenia (perda muscular) , e contribui para a melhora da qualidade de vida do paciente oncológico.  As necessidades de proteínas no Câncer podem estar aumentadas ou diminuídas dependendo do tipo de tumor, estágio da doença e das formas de tratamento  assim como o gasto energético. Deste modo é importante se atentar que a  falta de proteína no nosso organismo pode prejudicar e muitas vezes até interromper a terapia antineoplásica (quimio ou radio).

2.  Existe recomendação para quantidade de proteína a ser ingerida diariamente? Quais fontes alimentares são sugeridas?

 TC: Sim, hoje existe consenso na recomendação de proteínas para pacientes adultos em tratamento quimioterápico e radioterápico  e esta depende da programação terapêutica, estado nutricional prévio e complicações presentes, podendo variar de acordo com a tabela abaixo:

Adaptado de Haugenet al (2007)

Adaptado de Haugenet al (Adaptado de Haugenet al (2007).

Fontes sugeridas de proteinas:

  •  Carne bovina (recomendação de 3x / semana), aves e peixes (desde que cozidos, assados e/ou grelhados) e na consistência mais aceitável para o paciente.
  • Leite, queijos não amarelos, iogurte ( desde que paciente não seja sensível a lactose ou à proteína de leite de vaca)
  •  Leguminosas como feijões, lentilha, ervilha e demais fontes de proteínas vegetais
  •  Módulos de proteínas (caseinato de cálcio, proteína do soro de leite) e aminoácidos

Proteinas

3. Os horários são importantes?

 TC: Sim, muito importante a regularidade de horários para alimentação do paciente oncológico em qualquer etapa do tratamento, seja quimio ou radioterápico. Fracionar a dieta em intervalos de +/-  3 horas auxilia o metabolismo. Com relação à oferta de proteína na dieta é sugerido que, pelo menos, as 3 refeições principais do dia ( desjejum, almoço e jantar) tenha sempre 1 alimento representando o grupo das proteínas.

4. … E suplementos, devemos recorrer a eles?

 TC: Sim, são excelentes aliados, pois é sabido que  a quimio e radio resultam em toxicidade para o trato gastrointestinal, com surgimento de efeitos colaterais que traduzem uma ingestão de alimentos insatisfatória.  Os pacientes oncológicos com ingestão oral reduzida (menor que 75% das necessidades nutricionais) tem indicação de suplementação (independente de perda ponderal) e nesses casos a intervenção nutricional através da prescrição de hipercalóricos e hiperproteícos é necessária.

Hoje temos à disposição uma variedade de produtos específicos para nutrição e câncer que tem como benefícios oferecer e atingir as necessidades calórico-proteicas, em menor volume, e com componentes que atenuam as manifestações associadas a perda de peso e sarcopenia induzidas pela doença.

Podemos destacar como um suplemento  “coringa” a glutamina que é um aminoácido muito recomendado e utilizado. Também denominado imunonutriente, é  encontrado em abundância nos músculos, é importante para o crescimento e manutenção de células com forte atuação na síntese proteica. Durante o tratamento quimio/radioterápico há severa queda desta substância, e o organismo fica vulnerável a infecções oportunistas. Quando suplementada, a glutamina tem efeito anticatabólico (pois aumenta a hipertrofia muscular), além de exercer forte atuação no estado de hidratação celular e função intestinal.

A recomendação sugerida para uso da glutamina é de 30g/dia e pode ser adicionada em sucos de frutas, água, chás, vitaminas e até mesmo em combinação com outros suplementos orais como forma de aumentar o aporte proteico da dieta.

Importante ! Embora indiscutível as vantagens do uso de suplementos e módulos nutricionais, é imprescindível que a utilização ocorra sob orientações expressas de nutricionista e/ou médico.

Muito obrigada Thereza Cristina pela sua participação. Se tiverem dúvidas, deixem abaixo nos comentários que a nutri responde.

Beijinhos. 😉

Siga também: 
Instagram e Twitter @minhavidacomigo 
Facebook https://www.facebook.com/MinhaVidaComigo 
Youtube https://www.youtube.com/user/vaniacastanheira

Siga também:
Instagram e Twitter @minhavidacomigo
Facebook https://www.facebook.com/MinhaVidaComigo
Youtube https://www.youtube.com/user/vaniacastanheira

Un comentário to “Importância da Proteína, durante a quimioterapia e a radioterapia

Escreva um comentário

*